Ícone de alerta
Alerta anterior Próximo alerta Fechar alerta

Emater alerta para manejo de pragas no milho no RS

Compartilhar Compartilhe no Whatsapp Compartilhe no Facebook Compartilhe no Twitter

6 min de leitura

As equipes da Emater/RS-Ascar, vinculada à Secretaria Estadual da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr), verificaram a presença de pragas, como a cigarrinha-do-milho (Dalbulus maidis), que é considerada uma das pragas mais severas que atingem a América Latina, depois de realizado o monitoramento de lavouras de milho na região norte do estado.

 

De acordo com o extensionista rural e gerente regional da Emater/RS-Ascar de Frederico Westphalen, Luciano Schwerz, neste ano, em decorrência das condições climáticas de pouca chuva, houve a intensificação da proliferação da cigarrinha-do-milho na região.

 

"Este cenário nos preocupa, pois esta é uma praga que ataca cedo. Ela ataca já nos primeiros dias de estabelecimento da cultura. Neste período, além da rápida proliferação, também acontece a infecção das plantas de milho, ou seja, a transmissão do enfezamento e de viroses que irão se manifestar ao longo do ciclo, em especial próximo à floração e enchimento de grãos", alertou Schwerz.

 

 

milho_emater

Foto: Assessoria de Imprensa Emater/RS-Ascar - Regional de Frederico Westphalen

 

Segundo ele, é importante que o produtor fique atento e faça o monitoramento constante das lavouras, adotando medidas estratégicas de controle. Além dos danos decorrentes do ataque desta praga, que acomete a planta através da sucção da seiva, também pode ocorrer a transmissão de fitopatógenos como os molicutes, responsáveis pelo enfezamento vermelho, plantas infectadas pelo fitoplasma (Maize bushy stunt phytoplasma) e pelo enfezamento pálido, espiroplasma (Spiroplasma kunkelii), além do vírus conhecido como Raiado Fino (Maize rayado fino-MRFV).

 

"Essas espécies de bactérias se multiplicam no floema das plantas dificultando a circulação de seiva, limitando o crescimento e o desenvolvimento delas por todo o ciclo. Hoje, nessa região, nós encontramos muitas áreas comprometidas. Essa praga pode causar até 100% de perda na cultura do milho. Além de comprometer o sistema vascular, ela pode avançar para o sistema radicular, causando o tombamento dessas plantas", reforçou Luciano.

 

 

O monitoramento constante das lavouras é muito importante para avaliar o desenvolvimento das plantas, bem como para observar o possível ataque de pragas e doenças.

 

"Na maioria das vezes, o agricultor tem dificuldade de observar e identificar essa praga, porque ela se aloja dentro das folhas enroladas (charuto), o que dificulta a observação a olho nu", completou.

 

 

Sobre a cigarrinha

 

A cigarrinha-do-milho é uma praga que mede de três a quatro milímetros, de cor amarelada e que tem um deslocamento rápido. Ela tem um ciclo de 25 a 40 dias, o que permite uma rápida multiplicação e, por consequência, requer aplicações sequenciais para o manejo.

 

"O agricultor irá realizar uma aplicação, controlando as pragas que estão presentes, mas ainda ficarão as posturas, que geralmente estão nas nervuras da planta, por isso é importante reaplicar o produto em torno de nove dias após a primeira aplicação, além de continuar o monitoramento", orientou Schwerz.

 

De acordo com o extensionista da Emater/RS-Ascar, hoje os produtos com maior eficiência para o manejo desta praga têm em sua composição acefato, imidacloprida e tiametoxam. Também existem produtos biológicos que podem ser usados para o manejo dessa praga, como o Beauveria bassiana, fungo que age como parasita no combate a insetos, mas deve ser aplicado em condições de umidade relativa do ar alta e temperatura amena.

 

"Nós reforçamos que este cenário se trata de uma situação bastante grave, por isso é muito importante o monitoramento das lavouras. Na nossa região temos lavouras que já apontam níveis de danos irreversíveis, o que irá dificultar a formação das espigas. Os agricultores devem estar em alerta e podem contar com o auxílio da Emater para realizar o monitoramento e o controle estratégico das pragas", finalizou Luciano.

 

Agroclima PRO

 

Como planejar uma safra e monitorar sua fazenda?

 

Otimizar o plantio, ficar de olho no Clima para avançar com os trabalhos no campo e observar o desenvolvimento da cultura para evitar perdas são algumas das decisões que você produtor rural precisa tomar durante a safra. 

 

Agroclima Pro é um serviço de tecnologia da Climatempo que utiliza o conhecimento meteorológico. Com ele você pode acessar o histórico de dados de Clima para sua fazenda e pode detectar áreas com menor vigor vegetativo. Além disso, você fica sabendo como será a demanda hídrica da sua lavoura nos próximos 15 dias e ainda consegue identificar os melhores dias e horários para realizar as pulverizações.

 

 

Experimente ter monitoramento em tempo real da sua fazenda

+ mais notícias