Ícone de alerta
Alerta anterior Próximo alerta Fechar alerta

Paraná inicia plantio da soja, mas umidade é insuficiente

Compartilhar Compartilhe no Whatsapp Compartilhe no Facebook Compartilhe no Twitter

7 min de leitura

Foto: Istock 

 

Um dos grandes problemas enfrentados pelos sojicultores no desenvolvimento da cultura da soja é o ataque de doenças causadas por fungos que podem comprometer a sanidade da lavoura. E essas doenças surgem por vários motivos e o Clima também tem grande influência. 

 

No entanto, com o avanço da tecnologia no campo, os resultados positivos têm aumentado por meio da busca pela prevenção de ameaças que afetam a cultura da soja. O que agrega valor ao manejo e pode contribuir para o controle de doenças é monitorar o clima e o uso de fungicidas para soja que atuam na prevenção e proteção da planta desde o início do plantio, colaborando não só para conter a possível ação dos fungos, como para a sanidade da planta.

 

Velhas inimigas, grandes ameaças

 

As doenças são uma das maiores causas de perda de produtividade na lavoura, caso seu controle não seja realizado de forma efetiva. Por isso, conhecer as principais ameaças é importante para o monitoramento. Veja quais são as principais ameaças que atacam a soja: 


Ferrugem asiática (Phakopsora pachyrhizi);
Crestamento-foliar e mancha-púrpura-da-semente (Cercospora kikuchii);
Mancha-alvo (Corynespora cassiicola);
Antracnose (Colletotrichum truncatum);
Oídio (Microsphaera diffusa), entre outras.

 

Influência do clima

 

Dias muito quentes e com pouca chuva são péssimos para a agricultura. Algumas culturas até que aguentam um período longo sem água, mas as lavouras de produção de soja precisam de muita chuva. No Paraná, por exemplo, segundo maior na produção de soja do Brasil, é necessário neste início de safra, uma quantidade de chuva suficiente para manter a disponibilidade hídrica do solo adequada para o plantio. 

 

"Iniciar um plantio com o solo muito seco ou encharcado demais pode inviabilizar o plantio do grão. Outro detalhe importante é o tipo de solo e o tipo de plantio (direto ou convencional). Dias seguidos com chuva de 20 milímetros, por exemplo pode formar muito barro nos campos e paralisa o plantio. Já em solos arenosos, mesmo com essa quantidade de chuva, ainda é possível arriscar o plantio da soja. Não chover, após cinco dias do plantio não é um problema grave desde que o plantio tenha sido realizado com umidade do solo correta. A estiagem só não pode prolongar. O ideal é que a chuva ocorra de uma forma que a planta possa emergir no campo", relata o produtor Nivaldo Forastieri.  

 

Na região agrícola de Itambé (PR), foram acumulados em torno de 55 milímetros o que possibilitou a volta razoável da umidade do solo. Muitos produtores locais resolveram arriscar e iniciar o plantio. Ou seja, 10% das áreas já foram semeadas, mas nem todas as sementes emergiram o que deixa o produtor preocupado com a possibilidade de novamente enfrentar pela 4ª vez seguida, o atraso na safra, informa a Foraster Agrointeligência.    

 

De acordo com o meteorologista Celso Oliveira, a chuva retorna ao Paraná no dia 28 de setembro e se prolonga nos primeiros dias de Outubro.

 

"A melhor chuva acontece à  partir do dia 02 de outubro, especificamente para Itambé, no norte do Paraná. Estão previstos acumulados de 65mm até o dia 08 de outubro. A chuva do dia 28/09, será melhor para áreas mais ao sul e oeste como Cascavel, Guarapuava, Ponta Grossa e União da Vitória", prevê Oliveira.

 

Veja os mapas abaixo com a tendência:

 

pentada_chuva_1  

pentada_chuva_2

 

Primavera 2021: previsão para a Região Sul

 

Prevenção desde o início do manejo

 

O mercado apresenta boas opções de tecnologias que auxiliam o produtor rural no manejo das doenças da soja. Entre elas, podemos citar fungicidas que possuem diversos modos de ação e que são eficazes no controle do complexo de doenças desde as primeiras aplicações. As principais vantagens de realizar aplicação de fungicida para soja nos estádios iniciais são:

 

Diminuição da incidência de doenças ao longo do ciclo;
Eficiência no controle do complexo de doenças da soja;
Ação preventiva, que mantém a quantidade de inóculos baixa.

 

É sempre muito importante o produtor avaliar o melhor manejo da lavoura sob a orientação de um agrônomo e respeitar as recomendações da bula em relação ao número de aplicações, período de intervalo e dose ideal por hectare. Assim, a lavoura expressará seu máximo potencial produtivo, resultando em uma colheita rentável.

 

Como planejar uma safra e monitorar sua fazenda?

 

Otimizar o plantio, ficar de olho no Clima para avançar com os trabalhos no campo e observar o desenvolvimento da cultura para evitar perdas são algumas das decisões que você produtor rural precisa tomar durante a safra. 

 

Agroclima Pro é um serviço de tecnologia da Climatempo que utiliza o conhecimento meteorológico. Com ele você pode acessar o histórico de dados de Clima para sua fazenda e pode detectar áreas com menor vigor vegetativo. Além disso, você fica sabendo como será a demanda hídrica da sua lavoura nos próximos 15 dias e ainda consegue identificar os melhores dias e horários para realizar as pulverizações. 

 

Faça parte da maior comunidade AGRO!
O canal oficial da Climatempo no Telegram fornece conteúdos diários e exclusivos sobre o Clima e previsão para a agricultura. Quero fazer parte!

Experimente ter monitoramento em tempo real da sua fazenda

+ mais notícias