Ícone de alerta
Alerta anterior Próximo alerta Fechar alerta

Como a análise dos dados da cadeia do Agronegócio pode turbinar o plano de marketing

Compartilhar Compartilhe no Whatsapp Compartilhe no Facebook Compartilhe no Twitter

4 min de leitura

O agronegócio brasileiro corresponde a 23% do Produto Interno Bruto (PIB) nacional. A riqueza gerada pelo setor – desde a produção de insumos, até as indústrias de alimento – chega a R$ 1,13 trilhão, de acordo com a Confederação de Agricultura e Pecuária do Brasil. Diante desse potencial, ter conhecimento e ferramentas certas para analisar o segmento e transformar os dados em “insights” de negócios é o que vai determinar o sucesso das empresas que atuam na cadeia.

Para que a companhia se destaque no mercado, o profissional de marketing tem um papel fundamental. Caberá a ele levantar informações do potencial de mercado, oportunidades e mapear possíveis riscos para o negócio. Porém, na prática do dia a dia, ele pode encontrar algumas dificuldades no processo de coleta dos dados estratégicos, bem como onde pesquisá-los e como extrair, de um grande volume de informações, indicadores que permitam uma tomada de decisão assertiva, de forma mais transparente.

A melhor forma de aplicá-los corretamente na sua estratégia de acesso ao mercado e no seu planejamento de marketing é por meio do uso das ferramentas certas. O processo de analisar, elaborar e executar um plano fica muito mais assertivo quando se utiliza soluções tecnológicas desenvolvidas sob medida para suprir os gargalos do setor. Com isso, é possível pensar em produtos, serviços, promoções e campanhas estratégicas, de acordo com as necessidades e desejos de cada segmento de clientes.

São muitos os benefícios do uso de ferramentas de análise e inteligência de dados para a área de marketing. Imagine, por exemplo, uma empresa fornecedora de insumos agrícolas que queira conhecer os fatores que motivam o comportamento de compra do empreendedor rural. Para desenhar esse cenário, a companhia pode seguir por dois caminhos: encomendar uma pesquisa com algum órgão especializado, que trará algumas projeções (não dados absolutos), com validade curta ou implementar um sistema interno para coleta e análise de dados, que diferente da pesquisa, trará informações mais atualizadas e com a possibilidade de cruzar dados e simular cenários, por meio de análises personalizadas e em tempo real.

O profissional de marketing não precisa quebrar a cabeça sozinho fazendo isso. A tecnologia permite coletar e analisar os dados internos e externos e imputá-los dentro de uma plataforma que possibilita a visualização única das informações de toda a cadeia. Você consegue, por exemplo, identificar o perfil dos clientes e suas preferências e, assim, lançar campanhas direcionadas. Saber onde geograficamente sua empresa vende mais e menos e, desta forma, preparar materiais promocionais para aumentar a demanda nestes locais, além de ter uma série de outras sacadas de marketing para aumentar as vendas.

Usar dados para a gestão dos negócios de marketing permite às empresas redução de custos e retorno de investimento (ROI) mais positivo e mensurável. Portanto, saber a melhor forma de usar informações de qualidade, fará com que o profissional contribua para o crescimento da sua empresa, ajudando os líderes a tomar decisões estratégicas ao negócio.

José Alexandre Loyola

Diretor executivo da AGDATA no Brasil e América Latina.

Experimente ter monitoramento em tempo real da sua fazenda

+ mais notícias