Ícone de alerta
Alerta anterior Próximo alerta Fechar alerta

Baixa umidade no solo preocupa produtor

Compartilhar Compartilhe no Whatsapp Compartilhe no Facebook Compartilhe no Twitter

3 min de leitura

A frente fria que está no litoral da Bahia provocou grandes volumes de chuva no estado e no decorrer do dia mantem as condições de pancadas no centro-norte do Brasil. A umidade se espalha e com isso, produtores do Mato Grosso continuarão com os trabalhos de plantio. Porém, como em todo o restante do Brasil, o tempo permanecerá firme e sem previsões para chuvas, as condições ao plantio da soja, milho, feijão e arroz poderão ser prejudicados, uma vez que os níveis de umidade do solo já estão baixos em muitas propriedades.

 

De acordo com o agrometeorologista Marco Antonio Santos, assim, como os grãos, lavouras perenes de café, cana de açúcar e laranja também sentem a falta de chuvas e consequentemente os baixos níveis de umidade do solo. Ainda não há relatos de perdas, mas a situação começa a ficar preocupante em algumas localidades do Sudeste. O tempo firme possibilita o rápido avanço da colheita da cana de açúcar em São Paulo, que apresenta rendimento abaixo do esperado para essa época do ano.

 

 

A tendência é que as áreas de instabilidade do Norte enfraqueçam até o próximo fim de semana e as pancadas de chuva devem voltar a Mato Grosso do Sul. A chance de chuva diminui muito no Nordeste entre sexta (30) e domingo (2).

 

Novas áreas de instabilidade devem se espalhar pelo Sul e Sudeste entre o sábado (01) e a segunda-feira (3), podendo provocar até chuvas fortes especialmente sobre Paraná e áreas de São Paulo, Mato Grosso do Sul e sul de Minas Gerais.

 

Lembrando que há uma forte tendência de que a partir do final de semana do dia 08/10 as chuvas irão dar uma trégua. Com isso, há previsão de estiagem em grande parte das regiões central e norte do Brasil ao longo do mês de outubro. Sendo que nesse período as chuvas deverão ficar mais concentradas sobre a região Sul beneficiando lavouras de arroz, milho, soja e feijão, bem como frutíferas, hortaliças e pastagens.

Experimente ter monitoramento em tempo real da sua fazenda

+ mais notícias