Ícone de alerta
Alerta anterior Próximo alerta Fechar alerta

Feijão e milho em fase de florescimento

Compartilhar Compartilhe no Whatsapp Compartilhe no Facebook Compartilhe no Twitter

3 min de leitura

As imagens de satélite continuam mostrando áreas de instabilidade somente sobre a faixa norte do Brasil, onde há previsões de novas pancadas de chuvas em grande parte do Mato Grosso, Goiás, noroeste de Minas Gerais, Bahia, Tocantins, Maranhão, Piauí e Pará.

 

 

Como vem ocorrendo, essas chuvas mesmo que na forma de pancadas irregulares, estão mantendo os solos com bons níveis de umidade, favorecendo o desenvolvimento das lavouras de 2ª safra, como milho, algodão e feijão. Porém, ainda existem propriedades, dentro destes estados, que já se encontram a mais de 15 dias sem o registro de chuvas e isso vem preocupando os produtores, já que muitas lavouras começam a dar sinais de déficit hídrico. Por enquanto, é bem pontual e não deve afetar a produção estadual de grãos. Para aqueles produtores que estão em plena colheita, essas chuvas deverão ocasionar apenas paralisações momentâneas, mas nada que venha causar prejuízos às lavouras.

 

Este padrão meteorológico de chuvas quase que diárias na forma de pancadas irregulares deverá se manter inalterado ao longo dos próximos 10 dias. Não sendo previstas para o período estiagem ou até mesmo invernadas, apenas chuvas diárias, mas na forma de pancadas.

 

Confira como vai ficar a chuva no Brasil na primeira quinzena de abril

 

Agora, na região Sul e boa parte do Sudeste e no Mato Grosso do Sul as condições são inversas. A presença de um bloqueio atmosférico mantêm o tempo firme e sem previsão de chuva ao longo dos próximos cinco dias. Com isso, os níveis de umidade do solo podem sofrer alguma redução podendo ocasionar perdas pontuais em lavouras de milho e feijão, já que várias lavouras já se encontram em fase de florescimento.

 

 

Análise de umidade com até 15 dias de antecedência

 

Segundo os modelos de previsão, as chuvas só deverão retornar para estas localidades após o dia 05/04. Até lá, o tempo seguirá firme e sem previsão de chuva. A temperatura mínima ainda continua mais amena, o que poderá ser um fator compensatório a essa falta de chuva. Tais condições meteorológicas só estarão favoráveis à realização da colheita. Assim produtores de soja, arroz, milho e cana de açúcar poderão avançar com os trabalhos de colheita sem que venham ser prejudicados. Mantendo desse modo, boas perspectivas de produtividade e de qualidade.  

 

Veja também:  Condições meteorológicas para os próximos meses no agronegócio

Experimente ter monitoramento em tempo real da sua fazenda

+ mais notícias