Ícone de alerta
Alerta anterior Próximo alerta Fechar alerta

Cafeicultor pode contabilizar prejuízos com a safra de café

Compartilhar Compartilhe no Whatsapp Compartilhe no Facebook Compartilhe no Twitter

2 min de leitura

Nos próximos meses, a colheita da safra 2017/18 terá início, mas o baixo volume de chuva preocupa os produtores brasileiros. Entre os cafeicultores o consenso é de quebra na safra. As chuvas muito irregulares e bem abaixo da média prejudicaram a cultura, mesmo aquelas que utilizam à irrigação complementar. 

Os produtores já falam de quebra na safra 2017. O cerrado mineiro que produziu mais em 2016 deve ter colheita até 35% menor neste ano de 2017. Alguns produtores vão colher menos de 50%.

Qual a influência do clima na sua safra?

De acordo com a meteorologista da Climatempo, Josélia Pegorim, entre os dias 04 e 08 de maio, não há expectativa de muita chuva para as áreas de café de Minas Gerais. A partir do dia 05/05 quando uma frente fria passa pelo Paraná, o norte parananense e o oeste de São Paulo, podem registrar um pouco de chuva. Depois, é possível que até dia 08/05 alguma chuva leve aconteça sobre a região da Mogiana e no sul de Minas Gerais, mas não será uma chuva prolongada e volumosa.

Observe que no mapa de chuva acumulada os volumes de chuva podem chegar a 30 milímetros em algumas localidades. 

Com relação à temperatura, o ar polar que acompanha a frente fria não deve chegar com força ao Brasil. Por isso, até o dia 10/05 não há perspectiva de frio intenso para as áreas cafeeiras. 

Os cafeicultores estimam que a safra de 2018, fique bem parecida com a atual. Será uma safra com bienalidade positiva. Além disso, a perspectiva dos cafeicultores para a renda em 2018 é baixa uma vez que o mercado tem precificado uma produção mais alta para o próximo ano.

Como evitar o risco climático?

Experimente ter monitoramento em tempo real da sua fazenda

+ mais notícias