Ícone de alerta
Alerta anterior Próximo alerta Fechar alerta

Produtor finaliza colheita do arroz, soja e milho no RS

Compartilhar Compartilhe no Whatsapp Compartilhe no Facebook Compartilhe no Twitter

4 min de leitura

O mês de maio começa com previsão de chuva sobre as regiões Sul e extremo norte das regiões Norte e Nordeste. O que é comum para essa época do ano, ainda mais num período onde o Clima está passando por uma neutralidade climática, ou seja, sem a influência de nenhum fenômeno climático.

 

 

Há previsão de pancadas de chuva sobre Santa Catarina, Paraná e metade oeste do Mato Grosso do Sul e do Mato Grosso e em Rondônia. Os níveis de umidade do solo garantem boas condições ao desenvolvimento das lavouras de milho, feijão e algodão e a perspectiva é que a produção seja recorde este ano. Por outro lado, alguns produtores do cerrado já começam a ficar preocupados com a ausência de chuva.

 

 

Entre quarta (03) e quinta-feira (04), uma nova frente fria avança pela região Sul, onde irá provocar chuva de moderada a forte intensidade sobre o Paraguai, Santa Catarina, Paraná e sul do Mato Grosso do Sul. O sistema não terá grande influência sobre a Região Sudeste, mas vai ajudar as áreas produtoras de São Paulo e do sul de Minas Gerais. Há possibilidades de que algumas pancadas de chuva bem irregulares venham ocorrer sobre o Mato Grosso e Goiás, devido ao deslocamento deste sistema.

 

No próximo final de semana, a chuva poderá inviabilizar os trabalhos de plantio do trigo no Paraná, bem como atrapalhar o andamento da colheita da cana de açúcar em São Paulo. Mas por outro lado, pode beneficiar as lavouras de 2ª safra. No Rio Grande do Sul o tempo seguirá aberto ao longo de toda a semana, possibilitando a finalização da colheita do arroz, milho e soja. As geadas ocorridas na semana passada atingiram lavouras de feijão da região sul do Paraná, não havendo relatos de geadas em outras regiões ou culturas.

 

Como melhorar a produção no campo?

 

Nos Estados Unidos, a semana será marcada novamente por chuvas, menos volumosas do que foram nesses últimos dias, mas suficientes para atrapalhar o pleno andamento do plantio da soja e do milho, em especial na região do Corn Belt. Com isso, o plantio do milho que já está atrasado, em relação ao mesmo período do ano passado, continuará e a soja também poderá ser afetada.

 

Além da chuva a próxima madrugada ainda será muito fria, com possibilidade de nova ocorrência de neve nesta região produtora dos Estados Unidos o que poderá resultar em replantios. Para os brasileiros isso não é um bom sinal, já que as áreas de milho não semeadas poderão se tornar áreas de soja. Mas é fato que a mudança no tempo mexeu e continuará mexendo no mercado das commodities.

 

Veja também: Qual a influência do clima na sua safra?

 

Experimente ter monitoramento em tempo real da sua fazenda

+ mais notícias