Ícone de alerta
Alerta anterior Próximo alerta Fechar alerta

Soja: O que pode inviabilizar o plantio da soja ou seu desenvolvimento?

Compartilhar Compartilhe no Whatsapp Compartilhe no Facebook Compartilhe no Twitter

3 min de leitura

Tanto as chuvas quanto doenças são os fatores que mais interferem no desenvolvimento das lavouras de soja e podem inviabilizar o plantio e o desenvolvimento. Neste ano de 2017, os dois fatores estarão presentes. Os produtores de soja não irão conseguir plantar tão cedo o que “empurra” o ciclo da cultura para mais tarde, justamente quando as condições climáticas são bem mais favoráveis à pressão de doenças.

 

Atualmente, outro fator que chama muita a atenção é que as chuvas se estenderam até o final de março e começo de junho em muitas regiões produtoras de soja do país e, em algumas áreas as chuvas já retornaram no último mês de agosto. Por causa disso, já são observadas nas beiras das estradas e dentro das cidades produtoras a soja guaxa infestada de ferrugem asiática.

 

O tipo de doença mais comum na soja e que mais afeta a cultura é em primeiro lugar a ferrugem asiática e, em segundo a mancha alvo, antracnose, mela e mofo branco. Essas doenças aparecem durante todo o ciclo mais a maior incidência acontece após o florescimento da cultura. É nesta fase que o produtor tem que tomar mais cuidado e dobrar a atenção com as lavouras. Neste caso, o Clima faz toda a diferença. Entender como o tempo irá se comportar com antecedência é um fator importante para ao trabalho dentro do campo. Ter em mãos os boletins meteorológicos para até 10 dias poderá ajudar o produtor a decidir quando será o melhor momento para controlar a proliferação da doença com fungicidas minimizando perdas.

 

shutterstock_652981951

 Fonte: Shutterstock

 

No período de plantio o clima ideal é aquele com um índice de umidade do solo acima de 80% de armazenamento hídrico. A temperatura do solo não pode ser superior a 45°C nos primeiros três centímetros de solo. Além de se ter uma umidade de solo, igual ou superior a 80% é necessário que venha ocorrer chuvas frequentes nos dias subsequentes ao plantio. “No jargão do campo, se diz que se toda semana ocorrerem duas boas pancadas de chuva de 30 milímetros cada uma, a produtividade bate recorde”, conta o agrometeorologista Marco Antônio Santos.

 

A soja, diferentemente de outras culturas não tolera tempo chuvoso com muita nebulosidade, isto é, baixos índices de radiação solar. Estudos publicados por pesquisadores dizem que a soja é uma planta que necessita de 500 a 600 milímetros de chuva bem distribuída durante todo o seu ciclo de 100 a 120 dias dependendo da variedade e região cultivada, finaliza Santos.

Experimente ter monitoramento em tempo real da sua fazenda

+ mais notícias