Ícone de alerta
Alerta anterior Próximo alerta Fechar alerta

Plantio de soja está atrasado no sudoeste goiano

Compartilhar Compartilhe no Whatsapp Compartilhe no Facebook Compartilhe no Twitter

4 min de leitura

Os últimos três dias foram marcados pelas chuvas, mesmo que irregulares, em quase todas as regiões produtoras do Sudeste, Centro-Oeste e Sul do Brasil. Houve registros também de chuva em áreas do Tocantins e oeste da Bahia. No entanto, o volume de chuva caiu de forma variada até mesmo dentro de uma mesma propriedade. Muitos produtores, principalmente de Goiás, iniciaram ou retomaram o plantio da soja.

 

Segundo dados de plantio, a região do sudoeste goiano está tendo o seu pior início de plantio dos últimos anos, já que o percentual de área plantada até a última sexta-feira (27) estava próximo dos 25%, onde o normal já era para estar com no mínimo 55%. O mesmo vem ocorrendo com a região do Vale no Mato Grosso, onde a grande maioria dos produtores de Querência, Canarana e regiões vizinhas, ainda nem iniciaram o plantio.

 

Atraso no plantio 

Infelizmente, o atraso na regularização do regime de chuva foi atribuído às águas da região equatorial do Oceano Pacífico. Essas águas estão mais frias do que o normal, onde algumas regiões a anomalia da temperatura atinge valores inferiores a – 1,0°C, que associado à oscilação Madden & Julian, faz com que a atmosfera reaja com uma La Niña e isso, mantinha o corredor de umidade mais voltado ao Sul do Brasil.

 

Enquanto, toda a faixa central e norte ficavam sem chuva ou eventuais pancadas muito irregulares. Porém, o que se pode observar é que as chuvas retornaram, mesmo que irregulares e a tendência mostra uma continuidade da chuva frequente e em bons volumes sobre todas as regiões produtoras do Sudeste, Centro-oeste e também do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia.

 

Tendência 15 dias 

O avanço de frentes frias pelas regiões Sul e Sudeste nos próximos 15 dias, manterão o tempo instável e com previsão de pancadas de chuva quase que diárias em todas as regiões produtoras do Brasil. A chuva irá possibilitar o aumento dos níveis de umidade do solo o que melhora o desenvolvimento das lavouras já semeadas e o plantio.

 

chuvap1_br

 

chuvap2_br

Café e cana

Lavouras de café também estarão sendo beneficiadas por essas chuvas. Já a cana de açúcar, pode sofrer com o pleno andamento da colheita, podendo até mesmo prejudicar a ATR das plantas.

 

No Blog do AgroclimaPro você encontra mais informações sobre a regularização da chuva. 

 

Veja como a informação meteorológica pode ajudar a tomar a decisão dentro do campo:

Previsão do tempo para 15 dias com análise do estado e impacto das condições previstas na cultura

Análise de volume de chuva para a área produtora

Facilidade de tomar a decisão: Relatório do volume de chuva e quantidade de nuvens

Alerta de risco de condição severa 

Experimente ter monitoramento em tempo real da sua fazenda

+ mais notícias