Ícone de alerta
Alerta anterior Próximo alerta Fechar alerta

Ausência de chuva compromete desenvolvimento do arroz

Compartilhar Compartilhe no Whatsapp Compartilhe no Facebook Compartilhe no Twitter

5 min de leitura

A linha de instabilidade que está sobre Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Rondônia, mantem o tempo instável com possibilidade de pancadas de chuva ao longo do dia. Entretanto, as pancadas de chuva continuam sendo irregulares e já existem algumas áreas na região do Mato Grosso e de Goiás, onde não há registros de chuva a mais de 10 dias. Nestas localidades, o solo apresenta níveis muito baixos de umidade, comprometendo o pleno desenvolvimento das lavouras.

 

Na região Sul, assim como em grande parte do Matopiba a quarta-feira segue com  tempo aberto e sem chuva. A ausência de precipitação, principalmente na metade leste do Rio Grande do Sul já está comprometendo tanto o plantio da soja quanto o desenvolvimento das lavouras de arroz.

 

Irrigação complementar no arroz 

A grande maioria dos arrozeiros do Rio Grande do Sul já começaram a utilizar a irrigação complementar dentro do campo para que as plantas consigam se desenvolver e até mesmo germinar. Apesar de o arroz ser uma cultura irrigada, os produtores estão tendo que banhar seus campos muito precocemente. O grande problema para essas localidades é que não há previsão de chuva generalizada ao longo da semana. Somente no começo da semana que vem é que uma nova frente fria estará avançando pelo Rio Grande do Sul e com isso, provocando chuvas generalizadas sobre todas as regiões produtoras do estado.

 

Soja

Nas principais áreas produtoras de soja – região noroeste do Rio Grande do Sul, as condições estão muito boas a excelentes, já que vem chovendo regularmente. As condições continuam favoráveis nos próximos dias já que existe previsão de chuva para o começo da semana que vem.

 

Matopiba 

A partir desta quinta-feira, dia 30/11, as chuvas estarão retornando à todas as localidades produtoras do Maranhão, Piauí , Tocantins e Bahia o que irá possibilitar uma elevação dos níveis de umidade do solo, garantindo deste modo, que os produtores possam retomar as atividades de plantio e manter as condições bastante favoráveis ao desenvolvimento das lavouras que já estão em pleno desenvolvimento.

 

A tendência é que tanto na região do Matopiba como em todo o Centro-Oeste, Sudeste e grande parte do Paraná, Rondônia e Pará, os próximos 10 dias continuarão com previsão de chuva quase que diárias. Contudo, ainda continuarão sendo, na maior parte das vezes, irregulares. Mas de certa forma, essas chuvas irão ocorrer sobre todas as áreas produtoras, sejam de soja e milho, bem como sobre as áreas produtoras de café e cana de açúcar.

 

chuvap1_br (1)

 

Como será a primeira quinzena de dezembro? 

A primeira quinzena de dezembro será marcada pelas chuvas regulares e em bons volumes em praticamente, todo o Brasil o qu emantem o solo com um nível satisfatório para o desenvolvimento de todas as lavouras, bem como à realização dos tratos culturais, uma vez que esses períodos chuvosos estarão sendo intercalados com bons períodos de tempo aberto.

Veja a análise: Dezembro começa com expectativa de chuva 

 

Ferrugem asiática

Desde Agosto de 2017 estamos alertando os produtores em boletins agros no site e em palestras que neste ano a ferrugem asiática e demais doenças da soja e do café estariam chegando mais cedo. Vale lembrar que o tempo seco e relativamente quente em setembro e outubro em grande parte da região do cerrado provocou uma elevação na pressão de pragas, principalmente de lagartas. O monitoramento dentro do campo neste período deve sser constante já que neste ano as condições estão se mostrando ideais ao aparecimento da doença.

 

Experimente ter monitoramento em tempo real da sua fazenda

+ mais notícias