Ícone de alerta
Alerta anterior Próximo alerta Fechar alerta

Chuva prejudica colheita em áreas do NO e NE

Compartilhar Compartilhe no Whatsapp Compartilhe no Facebook Compartilhe no Twitter

3 min de leitura

A presença de uma frente fria sobre o Rio De Janeiro e Minas Gerais, motivou uma organização de uma Zona de Convergência de Umidade durante a primeira semana de abril. Por isso, observamos muitas áreas de instabilidade e chuvas intensas por quase todo centro-norte do país.

 

Nesta sexta-feira (06) e durante todo o fim de semana, os estados do Norte e Nordeste, Mato Grosso, Goiás, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Espirito Santo, vão continuar tendo muitas pancadas de chuva.

 

A instabilidade será bastante benéfica, uma vez que os níveis de umidade do solo estão relativamente bons, favorecendo o desenvolvimento das lavouras de 2ª safra. Já nas regiões produtoras do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia, a chuva atrapalha o pleno andamento da colheita, porém, ainda não há registros de perdas de produtividade ou qualidade, apenas de paralisações nos trabalhos no campo.

 

Na metade Sul do Brasil, o tempo permanece aberto e sem previsão de chuva ao longo desses próximos cinco dias. A exceção é apenas para as regiões do extremo leste do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e de São Paulo, que poderão ter pancadas de chuva, principalmente no final do dia. As temperaturas não sobem tanto, mesmo com o tempo mais seco. Apesar de favorável à realização dos trabalhos de colheita, o tempo deixa muitos produtores apreensivos pela ausência de chuva, principalmente os produtores de milho safrinha.

 

Desenvolvimento nas lavouras

 

Os mapas de previsão sinalizam que, a partir da próxima quarta-feira (11), a passagem de uma frente fria pela Região Sul irá deixar o tempo mais fechado. Com isso, há previsão de chuva generalizada. Os níveis de umidade do solo vão ser elevados e irão favorecer o desenvolvimento das lavouras. Por enquanto, não há registro de perdas de produtividade em nenhuma região produtora de milho safrinha, feijão, algodão, café, cana-de-açúcar e soja. Há relatos de que alguns micros bolsões estão passando por um período de chuva mais irregular no cerrado e, com isso, há uma certa preocupação. Como há previsão de chuva ao longo desses próximos cinco dias, a tendência é que as condições se regularizam ao longo desse período.   

 

No centro-norte do país, apenas no meio da semana que vem, as áreas de instabilidade perdem força. A previsão é de que a chuva fique irregular entre os dias 12 e 20 de abril em grande parte das regiões produtoras de Rondônia, Mato Grosso, Goiás, Minas Gerais, Pará, Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia.

 

06-04

 

 

Experimente ter monitoramento em tempo real da sua fazenda

+ mais notícias