Ícone de alerta
Alerta anterior Próximo alerta Fechar alerta

Ausência de chuva reduz potencial produtivo do feijão

Compartilhar Compartilhe no Whatsapp Compartilhe no Facebook Compartilhe no Twitter

4 min de leitura

Nesta sexta-feira (27), não há previsão de chuva generalizada em praticamente todo o Brasil. A exceção é a Região Norte, norte do Mato Grosso e Goiás, que devido a áreas de instabilidade, mantém o tempo instável e possibilidade para chuva. Não se pode descartar a possibilidade de que ocorram pancadas de chuva localizadas, de fraca intensidade, sobre as regiões produtoras do Mato Grosso, Goiás, Minas Gerais e no leste de São Paulo.

 

O grande causador do tempo seco e das temperaturas acima da média, é um ciclone tropical de altos níveis, que ainda se mantém sobre a região central do Brasil, impedindo que as frentes frias avancem sobre o interior do Brasil.

 

Assim, as frentes frias estão passando ao sul do continente, provocando chuva apenas sobre a Argentina e Uruguai e já se encaminhando para o Atlântico. Devido a isso, apenas parte da faixa litorânea do Sudeste e do Nordeste estão com previsão de chuva, além do Norte do país, que vem registrando precipitações frequentes, pela associação da frente fria que avança pelo alto mar com a Zona de Convergência Intertropical (ZCIT).

 

Volta da chuva nas lavouras

 

O bloqueio atmosférico começa a enfraquecer entre a próxima quarta-feira (02) e sexta-feira (04), quando uma frente fria o romperá, trazendo chuva para todas as regiões produtoras do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, sul do Paraná e extremo sul do Mato Grosso do Sul.

 

Porém, será a próxima frente fria, que deverá ocorrer entre os dias 07/05 e 09/05, que romperá definitivamente o bloqueio e com isso, possibilitar instabilidade em praticamente todas as regiões produtoras das regiões Sul, Sudeste e Centro-oeste. Em outras palavras, somente ao longo da segunda semana de maio é que haverá chuva generalizada sobre o Brasil.

 

Produção reduzida do milho

 

Até o bloqueio enfraquecer, muitas lavouras de milho e feijão estarão sob forte estresse hídrico. Desse modo, seus potenciais produtivos serão reduzidos, o que provocará uma diminuição na produção final de milho aqui no Brasil nessa safra.

               

Já para aqueles produtores que estão em plena atividade de colheita, o tempo seco vem colaborando para o rápido avanço e até mesmo o termino da colheita. Como não há chuva generalizada até o meio da semana que vem, a tendência é que a condição se mantenha favorável ao avanço da colheita.

 

Agrotalk: a nova plataforma sobre Clima e produtividade no campo

 

Leia no Blog do Agroclimapro outras informações e análises sobre as culturas 

 

Para saber maiores informações de como se planejar com antecedência e tornar o clima seu grande aliado basta consultar www.agroclimapro.com.br

 

Veja como a informação meteorológica pode ajudar a tomar a decisão dentro do campo:

Análise de volume de chuva para a área produtora

Experimente ter monitoramento em tempo real da sua fazenda

+ mais notícias