Ícone de alerta
Alerta anterior Próximo alerta Fechar alerta

Algodão não terá aplicação de desfolhantes prejudicada

Compartilhar Compartilhe no Whatsapp Compartilhe no Facebook Compartilhe no Twitter

5 min de leitura

O começo desta semana será marcado novamente pelo tempo instável, por conta da presença de uma nova frente fria no Rio Grande do Sul. Entre está segunda (23) e terça-feira (24) a previsão é de chuva generalizada em boa parte do território gaúcho. A chuva irá possibilitar a elevação e a manutenção dos níveis de água no solo, permitindo que as condições se mantenham favoráveis ao desenvolvimento das lavouras de inverno, em especial ao trigo. Além disso, a instabilidade também irá colaborar para que os mananciais nas áreas de arroz se recuperem, aliviando a tensão dos produtores em relação à condição de suas lavouras nessa próxima safra.

 

Ao longo desta semana, esse sistema deve provocar chuva sobre Santa Catarina e extremo sul do Paraná. Nas outras áreas do país, o tempo segue aberto e sem previsão para chuva, sendo bastante favorável ao avanço dos trabalhos de colheita do milho, algodão, cana-de-açúcar e do café. O tempo seco em todo o Sudeste, Centro-Oeste, Maranhão, Tocantins, Piauí, Bahia e Pará, é normal para essa época do ano. No entanto, há uma possibilidade de que na virada do mês venha ocorrer algumas pancadas de chuva muito isoladas sobre alguns pontos do Sudeste e Centro-Oeste.

 

O grande problema está sendo as regiões norte e noroeste do Paraná, sul de São Paulo e extremo sul do Mato Grosso do Sul, que ao contrário do que é normal, não estão ocorrendo pancadas de chuva consideráveis, na qual possibilitam a manutenção dos níveis de umidade do solo e consequentemente condições satisfatórias ao desenvolvimento das lavouras de inverno. Com isso, sérios prejuízos ao potencial produtivo das lavouras de trigo têm sido causados, com perdas irreversíveis. Muitos dos produtores optaram pelo plantio do trigo, uma vez que não conseguiram semear o milho. Dessa forma estão com uma dupla perda, isto é, perderam na rentabilidade do milho e agora estão perdendo com o trigo. Há indicativos de que ocorra chuva nessas localidades entre o final de julho e começo de agosto, e mesmo assim, os volumes não deverão ser altos, agravando ainda mais as condições das lavouras, infelizmente.

 

Temperatura nas lavouras

 

Com relação ao frio, devido ao aquecimento das águas do Pacífico, esse inverno está sendo marcado por temperaturas acima da média, principalmente as máximas, já que as mínimas ainda se encontram dentro do normal. Temos madrugadas com temperaturas mais amenas e dias bastante quentes, que não lembram em nada o inverno, principalmente no Paraná, São Paulo, sul de Minas Gerais e metade sul do Mato Grosso do Sul. Também em partes do Mato Grosso e de Goiás as madrugadas também continuam apresentando temperaturas um pouco mais baixas, mas nada que venha trazer alguma preocupação aos produtores de algodão, em relação a aplicação de desfolhantes.

 

Não há indícios de que as temperaturas sofram forte declínio ao longo dos próximos dias, diminuindo as chances de geada. Apenas no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina, as temperaturas poderão sofrer um declínio um pouco mais acentuado, já que uma massa de ar polar irá avançar no final desta semana sobre a região. Mas mesmo assim, não deverá ocorrer formações de geadas, nem mesmo nas regiões serranas.

 

Agrotalk: a nova plataforma sobre Clima e produtividade no campo

 

Leia no Blog do Agroclimapro outras informações e análises sobre as culturas 

 

Para saber maiores informações de como se planejar com antecedência e tornar o clima seu grande aliado basta consultar www.agroclimapro.com.br

 

Veja como a informação meteorológica pode ajudar a tomar a decisão dentro do campo:

Análise de volume de chuva para a área produtora

 

Experimente ter monitoramento em tempo real da sua fazenda

+ mais notícias