Ícone de alerta
Alerta anterior Próximo alerta Fechar alerta

Moagem da cana no Mato Grosso do Sul

Compartilhar Compartilhe no Whatsapp Compartilhe no Facebook Compartilhe no Twitter

4 min de leitura

A moagem de cana-de-açúcar no Mato Grosso do Sul atinge 47,07 milhões de toneladas no acumulado da safra 2018/19. O volume registrado até 15 de fevereiro supera em 6% o total da safra passada, que encerrou com 46,9 milhões de toneladas moídas.

 

Para o presidente da Biosul, Roberto Hollanda Filho, o regime de produção estendido, particular ao estado, contribuiu para tais números. “Consolidamos a produção na entressafra sinalizando uma recuperação do setor com relação à safra passada e nos aproximando da nossa expectativa inicial de moagem, que é chegar perto de 50 milhões de toneladas”, afirma. A partir da segunda quinzena de fevereiro, mais unidades entrarão em operação.

 

Etanol e Açúcar

 

De acordo com o acompanhamento da Biosul, a produção de etanol hidratado atingiu 2,3 bilhões de litros, volume 42% maior com relação ao mesmo período do ciclo anterior. Por outro lado, a produção do etanol anidro segue em queda, de 7% no acumulado, com volume de 782 milhões de litros, 63 mil litros a menos que no ciclo anterior. No total, anidro e hidratado, o estado produziu 3,13 bilhões de litros de etanol.

 

Na produção de açúcar, houve recuo de 33%, com 933,7 mil toneladas obtidas, enquanto que no mesmo período da safra anterior a produção atingira 1,4 milhão de toneladas.

O mix de produção na safra está 84,4% direcionado para o etanol e 15,6% para o açúcar. Na primeira quinzena de fevereiro, toda a cana colhida foi destinada ao biocombustível.

 

Produção na quinzena

 

De 1 a 15 de fevereiro, o volume de cana-de-açúcar moído foi de 198 mil toneladas, 54% menor comparado ao mesmo período da safra passada. Houve queda também na produção de etanol hidratado, que registrou 10,6 milhões de litros (-10%) nesse período. O saldo foi positivo para etanol anidro, com volume de 3,9 milhões de litros produzidos, já que não houve registro de produção nessa quinzena da safra passada.

 

O volume de chuva na quinzena foi o principal fator que reduziu o ritmo da moagem no período. De acordo com a Embrapa Agropecuária Oeste, na região da Grande Dourados (a maior concentração de lavoura de cana-de-açúcar no estado), o volume de precipitações foi de 185 milímetros, 36 milímetros a mais que a média dos últimos 10 anos.

 

Fonte: Assessoria de Imprensa da Biosul

 

AgroclimaPro

 

Para saber se o melhor caminho é aguardar ou seguir em frente com o plantio você pode contar com o Agroclima PRO, serviço de agrometeorologia de precisão da Climatempo. Com o ele é possível acompanhar os índices de umidade no solo e a previsão de chuva para sua região e, ainda melhor, para a sua fazenda! Nessa safra, a atenção em relação ao melhor momento para o plantio será fundamental para garantir a uniformidade das lavouras. Confiar nas previsões e na expertise da principal empresa privada de meteorologia do país será fundamental para garantir o sucesso da safra que está prestes a iniciar!

 

Acerte na sua safra! Assine agora mesmo o Agroclima Pro

Acesse: https://agroclimapro.com.br/

Experimente ter monitoramento em tempo real da sua fazenda

+ mais notícias