Ícone de alerta
Alerta anterior Próximo alerta Fechar alerta

Calor e pouca chuva nas áreas agrícolas de MS e parte do Sudeste

Compartilhar Compartilhe no Whatsapp Compartilhe no Facebook Compartilhe no Twitter

6 min de leitura

O ritmo de colheita da soja e instalação do milho é um pouco mais lento em Mato Grosso. No Sul, voltou a chover sobre o Rio Grande do Sul, mas a precipitação ainda foi fraca no Paraná, além dos estados de São Paulo e de Mato Grosso do Sul.

 

O Rio Grande do Sul vive a expectativa de chuva abrangente sobre todo o Estado, já
que 83% da soja está em fase reprodutiva e uma precipitação intensa diminuirá o
enorme prejuízo atual.


Não há expectativa de chuva forte para Paraná, São Paulo e Mato Grosso do Sul tão cedo. Apesar do plantio da segunda safra de milho alcançar 77%, a umidade do solo está abaixo do ideal para germinação e desenvolvimento inicial, além do calor intenso

 

Laranjais paulistas

 

Os laranjais precisam de irrigação complementar e a instalação da cana de açúcar avança em ritmo mais lento que o desejável especialmente em áreas arenosas e sem irrigação complementar.

 

campo_valendo

Foto: istock

 

Tendência do Clima 

 

A chuva continua sobre a Região Sul. O acumulado previsto para sete dias não é
extremo e varia entre 50mm e 100mm no centro, sul e oeste do Paraná, em Santa
Catarina, no norte do Rio Grande do Sul e na fronteira com o Uruguai.

 

Apesar de alcançar o Paraná, a chuva não alcança áreas majoritárias de segunda safra de milho do oeste do Estado. O norte do Paraná também permanecerá sob pouca chuva. Além disso, na maior parte do Rio Grande do Sul, espera-se pouca precipitação até o fim de semana.

 

Em Mato Grosso do Sul e em boa parte da Região Sudeste, há previsão de muito
calor e pouca chuva. A umidade do solo está baixa e atrasa as atividades de plantio
em São Paulo e em Mato Grosso do Sul.

 

Por outro lado, em Goiás, Mato Grosso, Rondônia e Pará, há previsão de pancadas
de chuva que não chegam a atrapalhar as atividades de campo na maior parte das
localidades. Ainda assim, chama-se a atenção para os mais de 150mm previstos para
a região de Marabá-PA e a manutenção do elevado nível do rio Tocantins. No Matopiba e Nordeste em geral, há previsão de chuva acima da média para a semana no Maranhão, Piauí, Pernambuco, Alagoas, Sergipe e norte da Bahia.

 

Chuva no período de 07 a 11 de março  

 

Na semana que vem, ainda há previsão de chuva forte sobre a Região Sul com acumulado acima dos 150mm no Rio Grande do Sul. A precipitação intensifica sobre o oeste do Paraná e norte de Mato Grosso do Sul, mas permanecerá escassa no sul de Mato Grosso do Sul, norte do Paraná, além de boa parte da Região Sudeste. Além disso, há previsão de chuva forte sobre boa parte do Matopiba, leste do Pará, Goiás, Mato Grosso e Rondônia.

 

Chuva no período de 13 a 20 de março  

 

Dentro do período entre 13 e 20 de março, o bloqueio atmosférico quebra e a chuva
avança para o centro e norte do Brasil com retorno das invernadas sobre partes das
Regiões Sudeste, Centro-Oeste, Norte e Nordeste.


A distribuição da chuva no mês de março será irregular. Março será um dos poucos
meses em que parte da Região Sul terá precipitação acima da média. Por outro lado,
uma boa parte do Rio De Janeiro, Minas Gerais e Nordeste receberá menos chuva
que o normal, apesar do aumento da precipitação em meados do mês.

 

Espera-se paralisação da quebra da safra de soja no Rio Grande do Sul. Apesar do avanço da chuva em meados de março, o acumulado permanecerá abaixo da média no norte e oeste do Paraná, em boa parte de São Paulo e no leste de Mato Grosso do Sul até o fim do mês. Isso poderá trazer consequências ruins para a segunda safra de milho dos três Estados.

 

Como monitorar uma safra e monitorar sua fazenda?

 

Otimizar o plantio, ficar de olho no Clima para avançar com os trabalhos no campo e observar o desenvolvimento da cultura para evitar perdas são algumas das decisões que você produtor rural precisa tomar durante a safra. 

 

AgroclimaPRO é um serviço de tecnologia da Climatempo que utiliza o conhecimento meteorológico. Com ele você pode acessar o histórico de dados de Clima para sua fazenda e pode detectar áreas com menor vigor vegetativo. Além disso, você fica sabendo como será a demanda hídrica da sua lavoura nos próximos 15 dias e ainda consegue identificar os melhores dias e horários para realizar as pulverizações. 

 

Faça parte da maior comunidade AGRO! O canal oficial da Climatempo no Telegram fornece conteúdos diários e exclusivos sobre o Clima e previsão para a agricultura. Quero fazer parte!

Experimente ter monitoramento em tempo real da sua fazenda

+ mais notícias