Ícone de alerta
Alerta anterior Próximo alerta Fechar alerta

Chuva persistente pode paralisar trabalhos no campo no RS

Compartilhar Compartilhe no Whatsapp Compartilhe no Facebook Compartilhe no Twitter

5 min de leitura

De acordo com o Informativo da Emater/RS-Ascar do dia 17 de março, as lavouras de soja em recuperação apresentam plantas com porte médio, aumento de ramificações, emissão de folhas e concentração de vagens em formação no terço superior.

 

Para as lavouras semeadas no final do período recomendado, houve um aumento significativo do número de nós e trifólios nas plantas bem como folhas de maior tamanho, dando aspecto visual de lavouras bem desenvolvidas.

 

As precipitações atrapalharam parcialmente a colheita, que alcançou 9% da área cultivada. A operação seguiu sendo realizada em lavouras que foram mais afetadas pela estiagem, com cultivares mais precoces. Outros 37% estão em fase de de maturação, 41% em enchimento de grãos, 12% em floração e resta apenas 1% ainda em germinação e desenvolvimento vegetativo.

 

Colheita milho 

 

A colheita do milho evoluiu lentamente para 68% da área cultivada. O acréscimo de apenas 4% foi condicionado pela ocorrência de chuvas e pela maior atenção à operação em outros cultivos, como a soja e o arroz. A produtividade estimada permanece em 3.428 kg/ha, representando um decréscimo de 53% da projetada inicialmente.

 

A melhoria nas condições ambientais, durante o mês de março favoreceu 15% dos cultivos que estão em estágios vegetativo (2%), em florescimento (3%) e em enchimento de grãos (10%). As áreas em maturação permanecem pouco afetadas pelas precipitações e chegam a 17%.

 

Foto: Istock

 

Tendência do Clima 

 

Entre terça (22) e a quarta-feira (23), boa parte do litoral do Espírito Santo fica em alerta para chuvas fortes associados a passagem de uma frente fria. Entre terça e o decorrer da quinta-feira (24), a passagem de uma outra frente fria irá provocar temporais no Rio Grande do Sul, em Santa Catarina e oeste do Paraná. No estado gaúcho, os acumulados de chuva podem passar dos 150 milímetros. 

 

No Rio Grande do Sul, boa parte da soja está em fase reprodutiva, a umidade do solo está alta. A chuva persistente pode paralisar os trabalhos no campo. 

 

Entre a Paraíba e o Maranhão, há condições para chuva com acumulados em torno de 150 milímetros em 7 dias. 

 

Na semana entre 21 e 25 de março, a chuva diminui em Mato Grosso e permite a retomada das atividades de campo, principalmente de milho e algodão. Chove pouco essa semana também no interior de São Paulo, Mato Grosso do Sul, Goiás, Minas Gerais e interior da Bahia.

 

De 28 de março até 03 de Abril, a chuva se espalha pelo interior do Sudeste e Centro-Oeste. O mês de Abril será caracterizado por chuvas no início e no final do mês. Neste mesmo período, chove forte em Santa Catarina, Paraná, sul de Mato Grosso do Sul. Ainda chove forte sobre o norte do Nordeste e em Tocantins, Pará e Amapá.    

 

Como monitorar uma safra e sua fazenda?

 

Otimizar o plantio, ficar de olho no Clima para avançar com os trabalhos no campo e observar o desenvolvimento da cultura para evitar perdas são algumas das decisões que você produtor rural precisa tomar durante a safra. 

 

O AgroclimaPRO é um serviço de tecnologia da Climatempo que utiliza o conhecimento meteorológico. Com ele você pode acessar o histórico de dados de Clima para sua fazenda e pode detectar áreas com menor vigor vegetativo. Além disso, você fica sabendo como será a demanda hídrica da sua lavoura nos próximos 15 dias e ainda consegue identificar os melhores dias e horários para realizar as pulverizações. 

 

Faça parte da maior comunidade AGRO! O canal oficial da Climatempo no Telegram fornece conteúdos diários e exclusivos sobre o Clima e previsão para a agricultura. Quero fazer parte!

Experimente ter monitoramento em tempo real da sua fazenda

+ mais notícias