Ícone de alerta
Alerta anterior Próximo alerta Fechar alerta

Cana-de-açúcar recua 79 mil hectares nesta safra

Compartilhar Compartilhe no Whatsapp Compartilhe no Facebook Compartilhe no Twitter

3 min de leitura

A grande procura por áreas para o cultivo de soja e milho devido à atratividade dos preços é o principal motivo para a retração da área em produção de cana-de-açúcar nesta safra, mesmo com o cenário positivo para o setor sucroenergético e bons preços para o açúcar e etanol.

 

É o que aponta o 1º levantamento da safra de cana-de-açúcar 2022/23, divulgado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). São Paulo, responsável por 50% das áreas nacionais em produção, perderá 79 mil hectares neste ciclo.

 

Entretanto, as condições climáticas observadas justificam uma projeção de aumento de 2,9% na produtividade em relação à safra passada, devendo atingir 73.696 kg/ha. O cenário climático mais otimista do início da atual safra é o que empurra a estimativa para uma ótica mais otimista do que na temporada passada. 

 

cana_1a_c

Foto: Istock

 

No geral, a estimativa inicial é de pequeno aumento na produção total em relação a 2021/22 (cerca de 1% superior), devendo superar as 301 milhões de toneladas de cana-de-açúcar colhida. As operações de moagem já começaram.

 

A fase de desenvolvimento da cultura considerada abrange o período de janeiro de 2021 a março de 2022, e a de colheita, deve compreender o período entre abril e dezembro de 2022.

 

Tendência do Clima 

 

A formação de um ciclone extratropical na costa da Região Sul rompe o bloqueio atmosférico e traz chuva para as áreas produtoras do centro e sul do Brasil. Mas o acumulado não será suficiente para reverter a estiagem nas áreas recém instaladas.

 

Atenção para rajadas de vento que podem alcançar 100km/h nos municípios mais altos da serra catarinense. O mar fica agitado com previsão de ressaca. 

 

A temperatura cai, mas não há previsão de frio extremo. Há uma expectativa de frio persistente. A chuva prevista para o Sul do Brasil deve paralisar as atividades de campo, porém não deve levar chuvas fortes para outras áreas do Sudeste e Centro-Oeste do país. Nestas regiões a quantidade de chuva esperada é baixa o que compromete o desenvolvimento do milho safrinha e da cana de açúcar recém instalada. 

 

Do dia 07 até 11 de maio, há condições de chuva para Goiás, Distrito Federal, Minas Gerais, mas sem chuva significativa. No Norte e Nordeste, a chuva se concentra nas áreas costeiras. 

 

 

Experimente ter monitoramento em tempo real da sua fazenda

+ mais notícias