Ícone de alerta
Alerta anterior Próximo alerta Fechar alerta

Atenção para o retorno do frio no início de Junho

Compartilhar Compartilhe no Whatsapp Compartilhe no Facebook Compartilhe no Twitter

5 min de leitura

De acordo com a Conab 0,2% da segunda safra de milho foi colhida. Houve relato de geadas em regiões de baixada de alguns municípios de Mato Grosso do Sul, mas a maior parte das lavouras prejudicadas até o momento, foram atingidas pela estiagem.

 

Milho 2ª safra 21/22

 

No Paraná, foi iniciada a colheita da segunda safra com 196 hectares colhidos na região de Laranjeiras do Sul. Contudo, a colheita ganha ritmo somente a partir da segunda quinzena de junho. 

 

Em Goiás, Minas Gerais, São Paulo e extremo oeste da Bahia também há perdas pela estiagem. Nesta semana, há previsão de chuva forte no Sealba, área da terceira safra de milho. Além disso, após quase uma semana com tempo seco e temperatura em elevação, a chuva retorna ao oeste e sul do Paraná e sul de Mato Grosso do Sul a partir do sábado (28/05).

 

Ao longo da primeira semana de junho, a chuva se espalha e ganha força sobre parte do Brasil. A estimativa é de 100mm no Paraná, Mato Grosso do Sul, oeste e sul de São Paulo. A precipitação mais fraca também alcança Mato Grosso, sul e oeste de Goiás e o Triângulo Mineiro. Além da chuva, há previsão de retorno do frio no início de junho, porém sem potencial para geadas.

 

Foto: arquivo Istock

 

Cana de açúcar 

 

Semana com tempo seco, ensolarado e temperatura em lenta elevação no centro e sul do Brasil. A chuva retornará a partir do sábado (28/05) e alcança o noroeste do Paraná e o sul de Mato Grosso do Sul.

 

No decorrer da semana que vem, há previsão de chuva nas áreas produtoras de cana de açúcar do Paraná, Mato Grosso do Sul e oeste e sul de São Paulo. O volume de chuva pode alcançar os 100 milímetros.

 

Nas lavouras de cana de Mato Grosso, oeste e sul de Goiás e do Triângulo Mineiro chove fraco nos primeiros dias de junho. A tendência é de queda de temperatura, mas sem risco para geada. 

 

Tendência do Clima 

 

Chuvas significativas atribuída a Ondas de Leste provocou precipitação volumosa nas últimas 24 horas em várias localidades do leste do Nordeste. Para as áreas agrícolas atingidas essa chuva (áreas de várzea) é extrema, mas bem vinda para o desenvolvimento da cana de açúcar, mesmo que paralise o manejo da cultura. Não é comum observar precipitações tão continentais associadas as ondas de leste e mostra a intensidade do fenômeno.

 

Entenda o que é Ondas de Leste

 

Nos próximos dias, a tendência é de mais chuva em todo o leste do Nordeste tem potencial para tempestades severas e parte desta chuva se espalha em direção a costa norte da Região Nordeste e parte do Norte do Brasil. O enfraquecimento da chuva no leste do Nordeste está previsto para o dia 02 de Junho.

 

No centro-sul do Brasil, o avanço de uma frente fria provoca chuva na sexta-feira (27), na metade norte do Rio Grande do Sul e Santa Catarina e no domingo (29) atinge o Paraná e parte de São Paulo, Mato Grosso do Sul.

 

A primeira semana de Junho, os modelos indicam um padrão mais úmido no Brasil. Porém, Minas Gerais, Goiás e boa parte de Mato Grosso e o interior da Bahia apresentem acumulados de chuva baixos. Atenção para a qualidade da pluma do algodão no Sudeste, Centro-Oeste e interior da Bahia já que a chuva acontece de forma tardia. 

 

Temperatura

 

A condição é típica de Outono com grande amplitude térmica, ou seja noites e madrugadas frias e tardes de calor. As simulações dos modelos de previsão indicam queda de temperatura na semana que vem com o avanço de uma onda de frio menos intensa, mas com formação de geada para o Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

 

Em Minas Gerais, áreas cafeeiras, o frio retorna na semana que vem e o mercado pode ficar agitado com mínimas previstas entre 3ºC e 6ºC. Não há expectativa de frio intenso, alerta o agrometeorologista Celso Oliveira.     

Experimente ter monitoramento em tempo real da sua fazenda

+ mais notícias