AGROCLIMA

Vazio Sanitário do algodão mobiliza agricultores baianos

18/09/2020 às 11:38
por Angela Ruiz
Atualizado 21/09/2020 às 09:57

Oferecimento

A partir do próximo domingo (20), está decretado o início do período do vazio sanitário nas lavouras de algodão do oeste da Bahia. Momento em que os restos de plantas vivas em áreas recém colhidas devem estar eliminados e assim, evitar que se multipliquem e possam promover a proliferação de pragas e doenças como o bicudo do algodoeiro, principal inimigo do cotonicultor.

 

O vazio sanitário se estende até 20 de novembro na região Oeste, já no Sudoeste o calendário teve início em 01 de setembro e vai até 30 de outubro. O controle das pragas nas lavouras de algodão da Bahia conta com apoio do Programa Fitossanitário da Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa) referência na área agrícola em todo o Brasil.

 

Nesta safra, em reta final de colheita, a campanha “Não ao Bicudo”, garantiu, uma produtividade média de 300 arrobas/hectare em uma área de 313.556 mil hectares. Esses resultados representam a manutenção da produção histórica em torno de 1,5 milhão de toneladas de algodão (caroço e fibra). A redução dos índices de bicudo depende ainda da colaboração dos agricultores, cumprindo o período do vazio sanitário e deixando tudo pronto para o plantio safra seguinte.

 

“O bicudo é uma praga de controle coletivo, o Programa Fitossanitário cumpre a sua parte, mas, cabe aos agricultores, fazerem o dever de casa”, avalia o presidente da Abapa, Júlio Cézar Busato. Ele credita as altas produtividades em grãos e algodão alcançadas no oeste baiano ao comprometimento tanto das associações, quanto dos próprios produtores. “Este trabalho foi iniciado há muitos anos, coordenado pela Aiba (Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia) e Abapa e reforça nos produtores a importância do combate às pragas. A conscientização em seguir as recomendações do vazio sanitário resulta em ganhos de produtividade e econômicos de toda a região”, diz.

 

O oeste da Bahia responde por 5% de todo o volume de grãos e fibra produzidos no Brasil. É responsável pelas maiores produtividades nacionais em soja e milho e detém a mais alta em algodão não irrigado do mundo. De acordo Busato, o combate às pragas e doenças é decisivo para que o agricultor possa produzir cada vez mais, em menores áreas e conservando os recursos naturais. “Temos ferramentas novas, tecnologia avançada e os resultados mostram que a união através de associações fortalece a ideia de que é possível produzir de forma sustentável e consciente”, finaliza.

 

Leia também: O protagonismo feminino no Agro é destaque no podcast AgroTalk

 

Agroclima PRO
 

"O Agro não pode parar! 🌱🚜

 
Aproveite e tenha informações precisas para poder tomar as melhores decisões, aumentando a produtividade da sua fazenda e evitando demais prejuízos! O Agroclima PRO, um produto da CLIMATEMPO. A melhor ferramenta de Agrometeorologia do mercado.  

📢 Interessados ⏩ https://www.climatempoconsultoria.com.br/agroclima-pro/

 

ENCONTRE UMA LOCALIDADE

loading

RECEBA NOVIDADES POR EMAIL

Cadastre-se para receber as últimas notícias e informações meteorológicas sobre a sua localidade

RECEBA NOVIDADES POR EMAIL

×
Ocorreu um erro ao enviar fazer seu cadastro. Por favor, tente novamente mais tarde!

Cadastre-se para receber as últimas notícias e informações meteorológicas sobre a sua localidade

Digite seu nome
Digite seu email

FASES DA LUA

  • Nova
    16/10
  • Crescente
    23/10
  • Cheia
    01/10
  • Minguante
    09/10

ESTAÇÕES DO ANO

  • Primavera
    22/09
  • Verão
    21/12