Ícone de alerta
Alerta anterior Próximo alerta Fechar alerta

Falta de chuva regular preocupa produtor de algodão do MT

Compartilhar Compartilhe no Whatsapp Compartilhe no Facebook Compartilhe no Twitter

7 min de leitura

De uma forma geral, o Clima tem colaborado para o desenvolvimento do algodão na maioria das áreas produtoras do Centro-Oeste. De acordo com a Conab, nesta safra o volume estimado será o segundo maior já registrado na série histórica, sendo 19,5% superior à safra passada e menos apenas que o registrado no ciclo 2019/20. Veja as condições das lavouras de algodão no centro-Oeste:

 

Mato Grosso

 

Os roçados do algodão estão em sua maior parte com um bom desenvolvimento. No entanto, a falta de precipitações regulares em partes do oeste e médio-norte do estado tem causado preocupações, visto que muitas plantas ainda não atingiram a maturidade plena no estágio reprodutivo, e dependem de quantidades razoáveis de umidade no solo para uma conclusão satisfatória no desenvolvimento. Muitas propriedades sinalizam queda na produtividade se não houver uma mudança positiva no quadro climático nos próximos dias. O controle de pragas e doenças são constantes, com o objetivo de reduzir a disseminação sobre a cultura e evitar maiores prejuízos. A adubação de cobertura está dentro do cronograma e de acordo com a fase do algodoeiro.

 

Goiás

 

Grande parte das lavouras já está na fase reprodutiva. A maior parte das lavouras é considerada de primeira safra, enquanto as demais estão sob sistema de irrigação (65% primeira safra e 35% segunda safra). As lavouras de primeira safra e de segunda safra estão em fase desde a floração, formação de maçãs, capulhos e na minoria abertura de plumas.

 

No começo do ciclo muitas áreas do leste sofreram com excesso de chuvas, algumas áreas que tiveram esses problemas e, consequentemente, atingidas por doenças fúngicas na fase inicial foram avaliadas e posteriormente replantadas. No oeste do estado, onde existem plantios de verão e poucas áreas de segunda safra, as lavouras estão em maturação e terão sua colheita iniciada no final de maio, com bom desenvolvimento durante todo o ciclo, controle de pragas feito conforme indicações para a cultura, assim, espera-se produtividades pelo menos dentro das obtidas historicamente. Na região leste do estado, grande parte da lavoura de algodão está em fase de formação de maçã e em ótimas condições sanitárias.

 

Foto: arquivo Istock

 


Mato Grosso do Sul

 

O comportamento climático dos últimos 30 dias continuou favorável ao desenvolvimento do algodão, mantendo as boas perspectivas produtivas para esta safra. O volume precipitado foi menor em relação ao mês anterior, mas a boa distribuição das chuvas manteve umidade no solo suficiente para o cultivo. Como algumas lavouras da principal região produtora começam a abrir os primeiros capulhos e aquelas do leste e sudoeste estão em maturação, a redução das chuvas favorece a
manutenção da qualidade da fibra. Foi iniciada a colheita do primeiro talhão semeado no estado, e estão sendo realizadas pulverizações de desfolhantes conforme as plantas das áreas de cultivo avançam para a maturação. 

 

Falta de chuva pode prejudicar produtividade do algodão

 

Tendência do clima

 

Uma intensa onda de frio vai provocar queda acentuada de temperatura sobre metade do Brasil na próxima semana. Além de geada em amplos estados, inclusive em áreas do Sudeste e Centro-Oeste, há possibilidade de neve em alguns pontos do Sul do país. Vários recordes serão registrados neste período.

 

A partir de segunda-feira (16/05), os produtores devem estar atentos com danos à soja tardia e ao milho da Argentina. Geadas também alcançam as áreas de pastagem e feijão no Rio Grande do Sul, Santa Catarina e sul do Paraná. 

 

Na terça-feira (17/05), o frio atinge amplas áreas de milho, HF, cana e café do Paraná. Em Itapeva, sul de São Paulo, também há condições para frio e geada nas áreas de feijão e milho.  

 

Na quarta-feira (18/05), o frio alcança o sul de Minas e a região da Mogiana com temperaturas inferiores a 3ºC. No dia 19/05 o frio se espalha em direção a Goiás, Brasília, triângulo mineiro, parte do cerrado atingindo áreas de café, cenoura, cana de açúcar. No dia 20/05, as condições para a geada diminuem no Sudeste.  

 

Alerta para o risco de geada nas áreas produtoras de café

 

No período de 20 a 26 de maio, uma frente fria chega ao Nordeste e provoca muita chuva nas áreas de cana. Essa chuva se espalha pelo interior da Região atingindo alguns municípios do Piauí, Maranhão e norte da Bahia.

 

Como monitorar o Clima na sua fazenda?

 

Otimizar o plantio, ficar de olho no Clima para avançar com os trabalhos no campo e observar o desenvolvimento da cultura para evitar perdas são algumas das decisões que você produtor rural precisa tomar durante a safra. 

 

AgroclimaPRO é um serviço de tecnologia da Climatempo que utiliza o conhecimento meteorológico. Com ele você pode acessar o histórico de dados de Clima para sua fazenda e pode detectar áreas com menor vigor vegetativo. Além disso, você fica sabendo como será a demanda hídrica da sua lavoura nos próximos 15 dias e ainda consegue identificar os melhores dias e horários para realizar as pulverizações. 

 

Faça parte da maior comunidade AGRO! O canal oficial da Climatempo no Telegram fornece conteúdos diários e exclusivos sobre o Clima e previsão para a agricultura. Quero fazer parte!

 

 

Experimente ter monitoramento em tempo real da sua fazenda

+ mais notícias