Ícone de alerta
Alerta anterior Próximo alerta Fechar alerta

A mega onda de frio nos Estados Unidos e o aquecimento global

Compartilhar Compartilhe no Whatsapp Compartilhe no Facebook Compartilhe no Twitter

Neve em Nova Iorque em fevereiro de 2021, por SDOT Photos, Fotos Públicas

2 min de leitura

Foto: Neve em Nova Iorque em fevereiro de 2021, por SDOT Photos, Fotos Públicas

 

A mega onda de frio que atingiu os Estados Unidos em fevereiro de 2021 certamente vai entrar na retrospectiva climática do ano.

 

Durante o inverno do Hemisfério Norte é comum que frentes frias fortes saiam do Ártico e avancem sobre o Canadá e os Estados Unidos. Quase todos os invernos tem pelo menos uma frente fria especial, que provoca frio intenso e abrangente sobre os Estados Unidos. Porém, o que se nota é um aumento na intensidade destas massas de ar frio. 

 

A onda de frio de  fevereiro de 2021 varreu os Estados Unidos, de norte a sul, e deixou o Texas coberto de neve, com dias congelantes, sem energia e sem água nas torneiras por causa do congelamento. Esta situação é completamente fora da realidade deste estado que é normalmente quente, quase o ano todo.

 

Se a Terra está esquentando, como estas ondas de frio podem ocorrer e tão intensas? Como explicar esta aparente contradição?

 

O podcast O Clima entre Nós conversa com Tércio Ambrizzi, professor e pesquisador da USP, que tem como um dos focos principais de estudos as mudanças climáticas e o aquecimento global. Ele explica como o aquecimento acelerado da atmosfera terrestre está relacionado com as ondas intensas de frio e de calor que estão ocorrendo pelo planeta.

 

E o que poderia acontecer se o Ártico ficar sem gelo? Por que o Hemisfério Norte tem mais eventos extremos do que o Hemisfério Sul?

 

Você pode ouvir todos os episódios do podcast O Clima entre Nós no site da Climatempo e nas principais plataformas de áudio.

 

Boa escuta!

 

 

Experimente ter monitoramento em tempo real da sua fazenda

+ mais notícias