Ícone de alerta
Alerta anterior Próximo alerta Fechar alerta

Estiagem afetou mais de 10% do milho em Mato Grosso

Compartilhar Compartilhe no Whatsapp Compartilhe no Facebook Compartilhe no Twitter

6 min de leitura

A Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja-MT) divulgou que a safra de milho deve ter uma perda de aproximadamente 4 milhões de toneladas, o que vai significar uma perda irreversível para os produtores. A estiagem prolongada já afetou mais de 10% da produção de todo Estado.

 

Conforme relatório da equipe técnica da Aprosoja-MT, a safra deste ano será de aproximadamente 36 milhões de toneladas de milho, que é abaixo do volume esperado em razão de um menor volume de chuvas. Algumas lavouras estão até 50 dias sem chuva significativa ou com um volume abaixo de 10 milímetros (mm). 

 

“O produtor rural é o maior prejudicado com esses números, porque toda previsão da colheita mexe com o mercado, com o custo de produção e as questões contratuais. Não podemos prever as questões climáticas, por isso a safra só se confirma após o trabalho da colheita”, afirma Fernando Cadore, presidente da entidade. 

 

 

Foto: Arquivo istock

 

Os dados divulgados pela Aprosoja-MT foram coletados por meio de questionário com os produtores associados de todo Estado e que já confirmaram perdas irreversíveis principalmente nas regiões oeste e sul. 

 

“Nosso trabalho em campo abrangeu centenas de produtores associados que nortearam nosso questionário confirmando as estimativas negativas para esta safra devido à seca”, finaliza Cadore. 

 

Na madrugada desta quinta-feira (19/05) fez bastante frio em diversas áreas agrícolas. Veja abaixo onde houve registro de geada e a cultura atingida:

 

Alto Araguaia-MT: 3,8°C - geada fraca em milho e algodão
Pontes e Lacerda-MT: 3,4°C - geada fraca em pastagens
Salto do Céu-MT: 3,4°C - geada fraca em pastagens
Cristalina-GO: 3.4°C - geada fraca em milho e algodão
Jataí-GO: 2,7°C - geada em milho e algodão
Mineiros-GO: 2,7°C - geada em milho e algodão
Rio Verde-GO: 3,8°C - geada fraca em milho e algodão
Patrocínio-MG: 3,1°C - geada fraca em café
Serra do Salitre-MG (Cooxupé): 2,9°C - geada fraca em café
Camapuã-MS: 2,6°C - geada em pastagens
Ituverava-SP: 0,9°C - segundo dia consecutivo com menos de 1°C e geadas em cana
Pradópolis-SP: 3,7°C - geada fraca em cana
Nova Fátima-PR: 3,8°C - geada fraca em café
Cambará-PR: 2,7°C - geada em cana
Águas de Lindóia-SP: 3,3°C - geada fraca em café
Arealva-SP: 3°C - geada fraca em cana
Barretos-SP: 2,6°C - geada em cana
Batatais-SP: 3,4°C - geada fraca em cana
Bauru-SP (Distrito de Água Parada): 1,9°C - geada em cana
Botucatu-SP: 3,2°C - geada fraca em cana
Colina-SP: 3,5°C - geada fraca em cana
Codeirópolis-SP: 0,5°C - geada em cana
Dirce Reis-SP: 3,8°C - geada fraca em cana
Franca-SP: 3,2°C - geada fraca em café
Guaíra-SP: 2,2°C - geada em cana
Ibitinga-SP: 3,8°C - geada fraca em cana
Igarapava-SP: 3,8°C - geada fraca em cana
Ipaussu-SP: 2,8°C - geada em cana
Itapetininga-SP: 2,7°C - geada em cana, HF e feijão
Jales-SP: 3,7°C - geada fraca em cana
Limeira-SP: 3,1°C - geada fraca em cana

 

Tendência do Clima 

 

Nesta sexta-feira (20/05), o frio aumenta entre Paraná e Santa Catarina e diminui no Sudeste e Centro-Oeste. Mesmo assim, ainda há condições para geada fraca em São Paulo, Minas Gerais, Goiás na próxima madrugada.

 

Com o afastamento do ciclone, a Região Sul terá uma noite de céu claro nesta quinta-feira (19/05) e vemtos bem mais fracos o que permite e a temperatura cai com geadas mais amplas sendo observadas no oeste, sul, centro e leste do Paraná. O produtor deve estar atento ao milho, hortifruti e feijão. Em Santa Catarina e norte do Rio Grande do Sul também há condições para ocorrência do fenômeno.   

 

No fim de semana, o frio enfraquece, mas ainda com possibilidade de geadas no Sul do Brasil. 

 

No período de 24 a 30 de maio, as simulações mostram uma tendência de chuva para o leste do Nordeste e a volta da chuva para o Rio Grande do Sul. Ou seja no final do mês, a chuva fica concentrada sobre a Região Sul associada a uma nova frente fria. São Paulo também deve receber um pouco desta chuva entre o final de maio e início de junho. 

 

Como monitorar o Clima na sua fazenda?
 

Otimizar o plantio, ficar de olho no Clima para avançar com os trabalhos no campo e observar o desenvolvimento da cultura para evitar perdas são algumas das decisões que você produtor rural precisa tomar durante a safra. 

 

O AgroclimaPRO é um serviço de tecnologia da Climatempo que utiliza o conhecimento meteorológico. Com ele você pode acessar o histórico de dados de Clima para sua fazenda e pode detectar áreas com menor vigor vegetativo. Além disso, você fica sabendo como será a demanda hídrica da sua lavoura nos próximos 15 dias e ainda consegue identificar os melhores dias e horários para realizar as pulverizações. 

 

Faça parte da maior comunidade AGRO! O canal oficial da Climatempo no Telegram fornece conteúdos diários e exclusivos sobre o Clima e previsão para a agricultura. Quero fazer parte!

Experimente ter monitoramento em tempo real da sua fazenda

+ mais notícias